A Quiet Place

John Krasinski realiza e interpreta uma das personagens principais de A Quiet Place, um filme que nos mostra uma invasão alienígena completamente distinta do padrão a que Hollywood nos habituou. Para complementar, a produção fica a cargo de Michael Bay, que é conhecido pelo uso excessivo de pirotecnia e cinematografia muito própria, algo que é completamente esquecido nesta produção.

O primeiro acto mostra-nos uma família em busca de mantimentos numa loja, na tentativa de sobreviver a algo que se assemelha a um evento cataclísmico. Imediatamente somos confrontados com a utilização de linguagem gestual, sendo notório a necessidade de reduzir o nível de barulho. Esta é a grande premissa do filme, que nos apresenta um Planeta Terra consumido por estranhas criaturas, sedentas de sangue, que são hiper-sensíveis ao som.

Sem colocar spoilers, algo irá suceder que afecta de forma muito negativa a família Abbott, cuja história vamos acompanhar ao longo da narrativa, no ano de 2020. Um dos pontos mais interessantes é a escassez de diálogos, que é complementada por linguagem gestual e pequenos pormenores deliciosos, como o vento ou as expressões corporais das várias personagens.

Um dos meus momentos favoritos é a cena da cascata de água, em que Lee e Marcus partilham uma experiência libertadora ao gritarem sem medo de serem ouvidos. A narrativa é poderosa e permite-nos acompanhar as lutas interiores, os medos e receios de todos os intervenientes e a forma como lidam com a perda.

O segundo acto assenta na gravidez de Evelyn, cujas águas rebentam precisamente na altura em que existe uma invasão de criaturas, criando um obstáculo complexo, face à necessidade de não fazer barulho. Digamos que a solução é criativa mas colocará em perigo toda a família, que terá de encontrar alternativas que lhes permitam sobreviver a este ataque.

Em termos de interpretações, o filme está muito bem conseguido, conseguindo criar um ambiente de medo, em que nos preocupamos genuinamente com as personagens. Está longe de ter um final feliz, algo que me agradou, sobretudo porque está praticamente confirmada a sequela. Posso com toda a certeza dizer que foi uma agradável surpresa e um filme que recomendo vivamente a todos os leitores.

The following two tabs change content below.

hugocardoso

Criador / Fundador do Portal Pessoal
Membro da fantástica colheita de ©1978. Utilizador de . Adepto do SLB, LA Lakers e Colorado Avalanche. Entusiasta de Retro Gaming, Cinema e BD. Colecionador de Estátuas & Figuras. Fã #1 de Muttley, o 🐶

Últimos artigos de hugocardoso (Ver todos)

Participa no debate. A tua opinião é fundamental.


Qual é o resultado final de 18 + 18 ?
Please leave these two fields as-is:
O SPAM não será tolerado neste espaço, pelo que solicito o preenchimento do formulário acima indicado. Muito obrigado.