WandaVision

A primeira série da Marvel disponibilizada na Disney + foca-se em Wanda Maximoff e Vision e lança algumas premissas interessantes para o segundo filme de Dr Stange, intitulado Multiverse of Madness. Como habitualmente, vou evitar ao máximo os spoilers, mas fica desde já o alerta, sobretudo para quem ainda não viu ou está a colocar em dia esta série.

Os primeiros dois episódios são bastante lentos, no que diz respeito à narrativa, colocando mais questões do que respostas sobre os eventos que ocorrem na pacata cidade de Westview.

Essencialmente, Wanda está a recriar episódios de TV da sua infância, integrando Vision e uma série de habitantes da cidade no seu quotidiano diário. Progressivamente, vamos tomando conhecimento do envolvimento da SWORD e da relevância de personagens como Monica Rambeau, Agent Woo, Darcy Lewis e Tyler Hayward.

Gostei particularmente dos flashbacks associado ao Blip (quando Thanos estala os dedos e elimina metade da população), assim como de Salem, que explicam a origem de Agatha Harkness. Confesso que um dos pontos mais interessantes de WandaVision foi tentar encontrar os easter-eggs e as várias referência a House of M, que é uma clara inspiração dos argumentistas.

Ao longo dos episódios, criei inclusivamente, uma panóplia de teorias, que envolviam Mephisto, Ultron e Nightmare mas o caminho seguido acabou por ser completamente distinto, embora igualmente fantástico.

A adição de Billy and Tommy, conhecidos na BD como Wiccan e Speed trouxe uma dinâmica familiar ainda mais intensa, sobretudo pela forma como nascem (literalmente) em menos de 24 horas. Há um mistério constante que envolve a narrativa, com eventos constantes que aumentam a carga emocional, que atinge o seu auge com o aparecimento de Quicksilver, o irmão de Wanda que perde a vida em Age of Ultron.

O nível de produção de WandaVision é fabuloso, elevando a fasquia para Falcon and The Winter Soldier, que estreia no dia 19 março.  Os derradeiros episódios são francamente bons, fechando este arco narrativo e explicando a maioria das pontas soltas que existiam.

Paralelamente, é introduzido o Darkhold, o Livro dos Pecados, algo que irá inegavelmente ter um papel fundamental na próxima fase da MCU e criar os alicerces narrativos necessários para os eventos que iremos acompanhar.

WandaVision é, na minha opinião, a história que narra a origem de Scarlett Witch, explicando os eventos que a definem enquanto ser humano e que moldarão as suas ações futuras, no sentido de lidar com a perda e consequente dor. Altamente recomendado para fãs e entusiastas da Marvel e MCU.

Acerca de hugocardoso

Membro da fantástica colheita de ©1978. Utilizador de . Adepto do SLB, LA Lakers e Colorado Avalanche. Entusiasta de Retro Gaming, Cinema e BD. Colecionador de Estátuas na escala 1/6. Fã #1 de Muttley, o 🐶

Consultar mais artigos de hugocardoso →

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.