007 – Skyfall

O espião mais famoso do Mundo, criado pela brilhante escrita de Ian Fleming está de volta. Como fã de Roger Moore e Sean Connery não tem sido fácil “aceitar” este reboot de James Bond. Não está em causa a capacidade de representação de Daniel Craig mas prefiro claramente o feel retro, de guerra fria dos seus predecessores.

Skyfall narra a busca de vingança de Silva (Javier Bardem), um ex-agente secreto que tentará aniquilar M a todo o custo. O filme tem um início frenético, com uma cena de abertura digna de registo mas cai muito rapidamente numa toada morna, em que somos confrontados com uma crise de confiança de Bond, fruto dos acontecimentos que decorrem da cena inicial (vou evitar os spoilers). Temos as habituais visitas por locais exóticos e alguns pormenores interessantes, das quais destaco a cena de luta em Macau e Hong Kong.

Em termos de narrativa, Skyfall não traz nada de muito apelativo, tornando-se inclusivamente bastante previsível a partir do segundo acto. Existem apontamentos interessantes, nomeadamente em relação a Moneypenny, Q e a personagem de Ralph Fiennes, que terá um papel fundamental nos próximos filmes.

Tenho perfeita noção que Skyfall tem recebido excelentes críticas mas pessoalmente continuo sem estar convencido. Prefiro claramente os filmes anteriores, com planos maquiavélicos de conquista do Mundo, humor britânico, sarcasmo e Bond-Girls de cortar a respiração. Para mim, é essa a essência do Bond de Ian Fleming e embora consiga aceitar que este reboot tenha a necessidade de apresentar um 007 menos requintado, não consigo envolver-me na narrativa.

Para terminar, penso que este filme tem pontos positivos, mais concretamente a personagem de Silva (um vilão invulgar no mínimo), as cenas de acção e as ocasionais referências ao estilo Bond de antigamente. Mas por outro lado, nota-se claramente que as restrições orçamentais obrigaram a muitas cenas nocturnas, retirando alguma “grandiosidade” ao filme. O enredo poderia ser francamente melhor, até porque em certos aspectos tem uma premissa semelhante a GoldenEye, que é um filme superior em muitos aspectos. Recomendo a fãs de Bond mas continuo com a sensação de que este não é agente secreto que tanto respeito e admiro…

The following two tabs change content below.

hugocardoso

Criador / Fundador do Portal Pessoal
Representante da fantástica "colheita" de 1978. Adepto do SLB, L.A Lakers e Colorado Avalanche. Entusiasta de Retro Gaming e BD. Gamer nos tempos livres. Coleccionador de Estátuas & Figuras.

Últimos artigos de hugocardoso (Ver todos)

Total de comentários: 2

  1. A utilizar Google Chrome 22 Google Chrome 22 em Mac OS X 10.6 Mac OS X 10.6

    Ora aí está, Daniel Craig interpreta um Bond mais “duro” e admito que se trata de um bom filme de acção mas para mim 007 é muito mais do que isso.

    Falta o humor de Roger Moore, as Bond Girls (com os nomes épicos), todo o feeling típico dos vilões e claro os gadgets que roçavam o ridículo.

    Pode parecer muito “piroso” mas essa é a essência de James Bond. Gostei bastante do look moderno de Pierce Brosnan mas estes últimos três filmes vão por um caminho que não me agrada particularmente.

  2. Isa diz:
    A utilizar Google Chrome 22 Google Chrome 22 em Mac OS X 10.6 Mac OS X 10.6

    Curti o Skyfall, mas para mim, não há filmes do 007 como os dos 60’s e 70’s.. tinham um charme especial, vilões *bem* mais manhosos e um toque de sci-fi muito peculiar 🙂

Participa no debate. A tua opinião é fundamental.


Qual é o resultado final de 20 + 6 ?
Please leave these two fields as-is:
O SPAM não será tolerado neste espaço, pelo que solicito o preenchimento do formulário acima indicado. Muito obrigado.